sábado, 20 de fevereiro de 2016

Os irmãos Koch


"A realidade, bem mais rica, tem de tudo. Se a esmagadora maioria dos indivíduos está muito distante desta caracterização, existem alguns que constantemente me recordam os "vilões de Hollywood". Os casos mais flagrantes de que me recordo são o criminoso de guerra Dick Cheney, e Bento XVIenvolvido no encobrimento dos escândalos de abuso de menores, entre outras questões."



Alguns filmes americanos mais populares exasperam-me com o seu maniqueísmo infantil. Em particular, alguns vilões destes filmes são personagens bidimensionais, sem qualquer grau de ambiguidade/complexidade, com um passado negro, um aspecto físico que reflecte a sua falta de empatia ou crueldade, e uma falta de escrúpulos caricaturesca.

A realidade, bem mais rica, tem de tudo. Se a esmagadora maioria dos indivíduos está muito distante desta caracterização, existem alguns que constantemente me recordam os "vilões de Hollywood". Os casos mais flagrantes de que me recordo são o criminoso de guerra Dick Cheney, e Bento XVI, envolvido no encobrimento dos escândalos de abuso de menores, entre outras questões.

Outros, menos conhecidos, são os sinistros irmãos Koch. A sua fortuna tem origem também na colaboração com os regimes nazi e a repressão estalinista, e é hoje usada para destruir a democracia nos EUA (correspondendo à origem de uma fatia significativa das contribuições de campanha que transformam o regime norte-americano numa oligarquia), enquanto promovem na cultura popular mentiras em relação às alterações climáticas e à economia, tentando até corromper o mundo académico e destruir o empreendimento científico.

A este respeito, não posso deixar de partilhar este vídeo, que foca também alguns aspectos mais pessoais e igualmente escabrosos:







João Vasco Gama
Bolseiro de Doutoramento em Economia

    Texto também disponível no Blogue "Esquerda Republicana