segunda-feira, 21 de março de 2016

Que Brasil este?

   O Brasil vive um momento excepcional na sua história, mas não é a primeira vez que o sente. Não está em causa o combate à praga que sempre corroeu o Brasil, corrupção. O que está em causa é utilizar o combate à corrupção para combater a democracia, e um governo legitimo saído de eleições democráticas. Será que 1964 se derreteu na história?
  O Brasil sempre assistiu impávido à corrupção de uma forma, quase, natural. Não foi o PT que inventou a corrupção, nem Lula ou Dilma. Talvez por as bandeiras politicas do PT serem diferentes, deveriam feito do combate à corrupção uma prioridade. Infelizmente não o fez!
   O problema é que muitos daqueles homens e mulheres, que acreditavam no PT, no Brasil e em Lula, que militaram no PT durante os seus duros anos, se tornaram fruto daquilo que é o  problema da corrupção. 
  Apesar de muitos crescerem com o PT no poder, a verdade é que isso sempre aconteceu . O PSDB não o fez? E os Coronéis? que supostamente assumiram o poder motivados por o combate à corrupção, também não foram corruptos? 
   Por detrás desta motivação de combate à corrupção, está a motivação da classe média brasileira contra o PT.  Uma classe média incendiada por a crise económica que o país vive, e uma comunicação social oportunista, encabeçada pela Globo. Uma classe média dura, preconceituosa, racista, que não tolera a pobreza, que se comporta como dona do Brasil. Vale a pena lembrar que o crescimento desta classe, e o próprio crescimento do consumo desta classe, se desenvolveu durante o governo de Lula, e das politicas sociais e de emprego criadas pelos seus governos. Mas esta classe que reage ferozmente contra o governo do PT, não regressar ao estado económico anterior, ou à pobreza onde se encontrava. 
     No centro de toda esta polémica, para além da comunicação social, está a justiça. Procuradoria e Juízes comportam-se como activistas políticos, criando polémica suficiente para que a corrupção deixe de ser o factor que moveu o processo contra o ex presidente e passe a centrar o ataque no governo, no PT, e por seguimento, na própria democracia. A justiça comporta-se como oposição politica, quando deveria ser célere e imparcial, deixando de intervir na politica da forma grosseira como tem feito. 
  Mas nada disto seria possível se a comunicação social, que tanto ajudou o golpe de 64,  não se tornasse o pirómano no meio do mato, pronto a incendiar tudo. Por cá, a SIC, parceira da Globo, também tem seguido a linha estratégica, talvez com desejo de que estes acontecimentos sejam postos em prática por cá, limitando o governo em funções. Quem sabe?!
  Num passado de má memória para os brasileiros,  a Globo representou um papel idêntico.  Em  1964, a Globo tornou-se o braço direito do ataque ao governo eleito democraticamente, sendo uma das armas utilizada na ditadura dos Coronéis. A imprensa brasileira não esconde de que lado está, nem pretende passar para fora a verdade, sem que seja a sua verdade.
   A chegada do PT ao poder, tornou o Brasil próspero. Voltou a colocar, termos económicos, o Brasil no mapa. Retirou 32 milhões de pessoas da pobreza extrema. Colocou a economia Brasileira reconhecida a nível mundial, formando os BRIC, juntamente com outros países em crescimento, e entrando para o  G20, sendo elogiado por o próprio Obama, no que tocou às medidas sociais e económicas. Tornou o Brasil uma economia atractiva,  e investiu em medidas sociais destinadas aos mais pobres. Fez crescer a classe média já existente, e nascer uma nova classe média. Tornou o Brasil um exemplo, mas deixou de fora o combate à corrupção, esse foi o erro crasso.
   Enquanto o trabalho de Lula no governo dava os seus frutos, os militantes do PT, que ocuparam cargos de importância politica, foram tirando benefícios pessoais desse através dos cargos, favorecendo-se através de um meio que o PT deveria ter dado prioridade, o combate à corrupção. O Governo de Lula acabou, não só por manter, mas por deixar que muitos dos seus acabassem entrando no jogo da corrupção. 
   Depois veio o Mundial e a construção dos estádios, com custos altos, que elevaram o tom da população. A situação degradante dos hospitais e escolas, com falta de tudo, a degradação da economia, e a recessão da economia brasileira, apadrinharam as primeiras manifestações dos brasileiros, aproveitadas por quem tem o interesse de derrubar o governo. Mesmo valorizando o trabalho de Lula, os brasileiros acabam por não poupar Dilma aos insultos motivados pela megalómana ideia de construir estádios para o Mundial, principalmente os custos que tiveram. 
   A Operação Lava-jato trouxe ao de cimo o que já acontecia em Brasília há muito, no entanto, uma classe média efurecida com as medidas sociais, ala direita sem acesso ao poder, e algumas figuras predominantes no Brasil, aproveitaram para lançar mão ao derrube do PT, como governo e como partido, no poder. O verdadeiro motivo por detrás de todo este festival vergonhoso, protagonizado nas ruas de diversas cidades brasileiras, que tem tido ataques a cidadãos, é o regresso dos velhos "do costume" aos lugares de corrupção que sempre estimaram.
    A justiça, que acaba por sair ferida com a sua demonstração de apoio, vincada por diversos juízes e procurados, no apoio a movimentos anti-PT, e ao abuso de poder que o Juiz Sérgio Moro teve, ao divulgar escutas, que, para além não susterem prova alguma, foram feitas ao alto magistrado da nação. Nem o interesse publico, alegado pelo juiz, permite que alguém tome este tipo de atitudes.
   Se o tiro no pé de Dilma foi convidar Lula para Ministro, dando hipótese ao ex Presidente escapar do processo, e  Lula dá um tiro no pé em ter aceite, a Justiça, ao demonstrar a sua parcialidade, pode ter dado um tiro no pé do processo, e outro na democracia, atingindo tudo aquilo que o Brasil conseguiu nos últimos 13 anos, todo o desenvolvimento social e económico. 
   Se Dilma e Lula são culpados? Não sei! Se sim, então que seja feita justiça de forma célere, imparcial e sem tumultos desnecessários. Caso contrário, está aberta uma potencial "guerra" interna no Brasil, que pode acabar com o que conhecemos hoje do Brasil. 
    Isto não se trata de uma luta contra a corrupção, nem contra os corruptos. Isto é apenas uma luta contra o PT, contra todas as medidas sociais tomadas por Lula, e contra o próprio Brasil, que sem uma alternativa credível, parece cair no vácuo de governação. E isso é motivo suficiente para um Golpe de Estado mais moderno e suave. 

Publicado por Jorge Miguel Pires - LIVRE